Santiago - Patrulha Maria da Penha da Brigada Militar orienta sobre campanha contra violência doméstica

Um “x” escrito com batom (ou outro material) na palma da mão da mulher vítima de violência, que pode ser mostrado na farmácia

Santiago - Patrulha Maria da Penha da Brigada Militar orienta sobre campanha contra violência doméstica
Foto Mayara Santos

Em Santiago a Brigada Militar através da Patrulha Maria da Penha divulga a campanha “Sinal Vermelho”. Durante o isolamento social, em meio à pandemia do COVID-19, a violência doméstica contra as mulheres aumentou consideravelmente. Muitas vítimas estão com dificuldade de denunciar o agressor ou de buscar ajuda, porque estão o tempo todo em sua companhia.

 

Essa campanha coloca as farmácias como agentes na comunicação contra a violência doméstica. Fruto de uma parceria entre a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), conta com o apoio de várias entidades. A proposta é oferecer aos trabalhadores das farmácias – farmacêuticos, e balconistas uma sugestão para acolhimento das vítimas e tomada de providências. A participação dos atendentes de farmácia na campanha consiste na comunicação com a polícia e no acolhimento da vítima.

 

Qual será a ação de mobilização?

Um “x” escrito com batom (ou outro material) na palma da mão da mulher vítima de violência, que pode ser mostrado na farmácia. Quando a vítima apresentar o “x”, o atendente deve ligar para o número 190 e acionar a Brigada Militar. Em seguida, se possível, conduzir a vítima a um espaço reservado pela farmácia, que pode ser a sala de medicamentos ou o escritório, para aguardar a chegada da polícia. Para a segurança de todos e sucesso da operação, sigilo e discrição são muito importantes.

 

Para a vítima, basta um x de batom na mão. Para a Farmácia basta uma ligação para o 190.

 

 

Fonte: Prefeitura de Santiago