Federasul reitera posição contra pacote de impostos do Governo - Vídeo Júlio C Batistella

Ouça o que diz o Presidente da ACCIJUC sobre o aumento da carga tributária no RS

Reunião de Integração da Federasul ouviu filiados sobre o projeto de reforma tributária

 

Em Reunião de Integração, que ocorre mensalmente na FEDERASUL, com a participação de mais de cem lideranças de todo Estado, a pauta versou sobre a reforma tributária e repercutiu  o encontro entre o governador Eduardo Leite e a presidente Simone Leite. Junto de quatro vice-presidentes, os dirigentes foram recebidos pelo Chefe do Executivo estadual na terça (08), no Palácio Piratini.

 

Na abertura, a presidente Simone explanou o teor das quase três horas de reunião com o Governador Eduardo Leite e a disposição do Governo de forçar a votação ainda em setembro, mesmo com as restrições ao debate que este ambiente de bandeiras vermelhas impõe. “Na reunião reiteramos nossa contrariedade ao pacote de aumento de impostos que piora muito o ambiente para trabalhar e empreender no Rio Grande do Sul e afirmamos nossa disposição de dialogar para uma verdadeira reforma tributária e que mesmo com a noventena é possível estender o debate até dezembro, para que uma reforma construída por todos no parlamento, entre em vigor já em março de 2021. Enfatizamos que não é possível que se tenha mais uma votação desta magnitude de forma virtual, com galerias vazias, inibindo os debates e a participação da sociedade que terminará pagando a conta. Esta reforma tributária enviesada vai gerar inflação, tirar o poder aquisitivo das pessoas para comprar alimentos, remédios, para manter um carro velho e vai inviabilizar a retomada dos empregos e das empresas. Não podemos aceitar uma aprovação desta forma”.

 

 O vice-presidente de Integração, Rafael Goelzer, caracterizou o PL 184/2020 [que trata da reforma] como “plano permanente de aumento de impostos”. Várias lideranças de todo Estado reclamaram de ter tentado participar da iniciativa do governo Eduardo Leite sobre a reforma tributária, “diálogos pelo Rio Grande”, tendo sido vetados tanto na forma presencial como na participação digital, sem terem conseguido fazer a representação empresarial de suas regiões.

 

O ex-presidente da Federasul e atual presidente do Conselho Superior, Humberto Ruga, se manifestou apoiando a postura combativa da entidade que não pode seguir acreditando ingenuamente em promessas que não se realizam.

 

O também ex-presidente Ricardo Russowsky manifestou seu apoio à postura e as ações da Federasul para reabrir o debate sobre a proposta de reforma tributária que também considera prejudicial ao Estado como um todo.

 

A FEDERASUL, depois de ouvir as lideranças e após apresentar sua posição de contrariedade ao aumento de impostos e sua disposição de ampliar o debate da reforma tributária até dezembro, abriu para votação de todos os presentes bem como manifestações em contrário. A posição de ampliar o debate até dezembro foi aprovada por unanimidade. A partir daí foram tratadas as estratégias para esclarecer a opinião pública e fortalecer o processo democrático junto aos parlamentares.

 

 

Texto: FEDERASUL