Coronavírus: como manter a saúde mental em tempos de pandemia

Manter a saúde mental durante a pandemia do coronavírus é fundamental para enfrentar essa crise

Coronavírus: como manter a saúde mental em tempos de pandemia
Foto: Divulgação

À medida que as notícias sobre o surto de coronavírus continuam dominando as manchetes, milhões de pessoas estão de quarentena. E, diante disso, tornou-se cada vez mais significativo prestar tanta atenção à nossa saúde mental quanto a física, alertam os psicólogos.

 

Pandemias como a que estamos enfrentando no momento muitas vezes acendem o medo, a ansiedade e os comportamentos problemáticos. Quando o medo assume o controle, tanto o sistema nervoso quanto a parte emocional do cérebro ficam sobrecarregados. 

 

Essa resposta pode levar à impulsividade, ao pânico e também a respostas emocionais descontroladas. E, se uma pessoa possui doença mental ou histórico de ansiedade e depressão, ela pode piorar e se intensificar em momentos como esse.

 

Se você tem se sentido ansioso, frustrado, zangado ou completamente confuso ultimamente, saiba que não está sozinho. Por isso, criamos esse post para ajudá-lo. Confira o que você pode fazer para manter a saúde mental em tempos de quarentena.

 

Reduza a quantidade de notícias sobre pandemia e o tempo nas redes sociais

É importante limitar sua exposição às notícias e a personalizar seus feeds de redes sociais — seguindo mais contas e páginas que os fazem se sentir bem. O cérebro é construído para solucionar problemas. E quando você já está com medo, naturalmente procura estímulos em seu ambiente externo para reforçar esse sentimento.

 

O cérebro exclui, distorce e generaliza todas as informações recebidas que não se alinham com o seu estado emocional atual ou crenças. Portanto, se você passa um tempo significativo acompanhando as notícias, isso reforça mais a preocupação.

 

Defina um tempo limite para buscar notícias sobre a pandemia. Além de personalizar seus feeds, também busque reduzir o tempo de exposição às redes sociais.

 

Busque novas perspectivas para lidar com a pandemia

Respire fundo e lembre-se de que a maioria das pessoas que contraem COVID-19 só experimenta sintomas leves. O trabalho que está sendo realizado é para ajudar pessoas mais vulneráveis ​​ao coronavírus, como idosos e pessoas com problemas de saúde subjacentes.

 

A coisa mais importante que você pode fazer para ajudar a si e a seus entes queridos é tomar todas as precauções, incluindo lavar as mãos e praticar o distanciamento social.

 

Planeje a quarentena e crie uma rotina

Com o fechamento de empresas e escolas, a criação de um plano de atividades para a quarentena ajudará você e a sua família a sentirem menos o impacto do isolamento social.

 

Isso pode significar criar uma rotina em casa e um cronograma para o trabalho remoto em meio ao distanciamento social.

 

Tente fazer com que sua vida siga o ritmo de antes do COVID-19 da melhor maneira possível. Mantenha o mesmo horário de quando você acorda, quando come e quando dorme. Concentre-se nas coisas que realmente estão sob seu controle e crie planos de ação para resolvê-las.

 

Fique conectado com sua família e amigos

Com a internet, não precisamos ficar 100% isolados. As redes sociais ajudam a promover um senso de normalidade e fornecer meios valiosos para compartilhar sentimentos e aliviar o estresse.

 

Você pode manter essas conexões sem aumentar o risco de contrair o vírus falando ao telefone, enviando mensagens de texto ou conversando com pessoas nos muitos chats hoje disponíveis.

 

Também é possível fazer passeios virtuais em conjunto com museus , parques nacionais e outros sites via Google Arts & Culture , assistir a concertos ao vivo e outros eventos, jogar online com amigos… Há muita atividade social para preencher seu dia e assim manter-se isolado presencialmente, apenas.

 

Mantenha-se ocupado

Participar de atividades que o distraem dos eventos atuais também pode ser útil. Você pode assistir seus filmes e programas de TV favoritos, praticar um novo hobby, como assar ou fazer artesanato, participar de uma aula de fitness on-line ou se matricular em um curso on-line gratuito .

 

Mexa-se

A atividade física ajuda a aliviar a ansiedade e melhora o humor, produzindo hormônios para aliviar o estresse. Exercitar-se por dez minutos ao dia pode aumentar a felicidade.

 

Cuide da alimentação

O estresse pode aumentar o desejo de comer alimentos com alto teor de açúcar e gorduras saturadas. Embora a gratificação instantânea possa ser atraente, esses tipos de alimentos geralmente levam a uma queda alta e subsequente imediata que pode aumentar o estresse, a irritabilidade e a ansiedade.

 

Opte por alimentos ricos em proteínas e potássio que ajudam a acalmar e manter o bom-humor.

 

Arranje tempo para o autocuidado

Quando o estresse aumenta, é fácil abandonarmos nossas práticas positivas de autocuidado, priorizando outras atividades — como tarefas domésticas e de trabalho. No entanto, é nesse momento que devemos praticar mais o autocuidado.

 

Então, dedique algum tempo para si mesmo todos os dias. Busque fazer algo que o faça você se sentir bem, algo que seja uma terapia pra você. Seja ler um livro, brincar com seu animal de estimação, ouvir música ou seu podcast favorito.

 

Além disso, não se esqueça das atividades críticas de autocuidado, como alimentação saudável, sono adequado e atividade física regular.

 

 

Fonte: Psicólogo e Terapia

O texto do site é informativo e não substitui atendimentos realizados por profissionais

 

O Site O Centro Sul disponibiliza espaço para proficionais de Júlio de Castilhos, que interessar fazer publicação de forma colaborativa. Em troca do serviço fizemos a divulgação do profissional através de banner na lateral do site (Espaço para dois colunistas psicólogo e/ou psiquiatra). Os dois primeiros contatos serão donos do espaço para publicação mensal (WhatsApp 55 8134 2776).