A importância da regulamentação da profissão e a função do historiador dentro da sociedade – Por Wilian Bento

Wilian Bento - Estudante de licenciatura em História/UFSM

A importância da regulamentação da profissão e a função do historiador dentro da sociedade – Por Wilian Bento
Foto: Divulgação

Para nós historiadores e historiadoras, entendemos a História como um processo de estudo de todas as relações sociais, políticas e econômicas que os seres humanos colocam-se como protagonistas, porque em síntese história é o estudo da humanidade.

 

A história deve ser um instrumento de pesquisa crítica para entendermos o nosso comportamento diante de processos como crises políticas, guerras que aconteceram no passado e para compreendermos o nosso presente, ou também podemos entender a história como o historiador britânico Peter Burke cita em uma das suas obras (‘’A função do historiador é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer.’’), para isso é necessário um rigor metodológico, científico e teórico para produzir história, e é com essas ferramentas que analisamos documentos e validamos nosso trabalho como historiador.

 

No dia 19 de agosto foi o dia do historiador, até o dia 18 de agosto de 2020 no Brasil a profissão de historiador (a), não era regulamentada por lei no país, após fruto de muita luta durante anos protagonizadas por estudantes e profissionais da área da História isso mudou:

 

Através da lei 14.038/2020 regulamenta a profissão de historiador. Pelo texto, poderá ser historiador quem tem diploma de curso superior, mestrado ou doutorado em história; diploma de mestrado ou doutorado obtido em programa de pós-graduação reconhecido pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com linha de pesquisa dedicada a história; e profissionais diplomados em outras áreas que comprovarem ter exercido a profissão por mais de cinco anos a contar do dia 17 de agosto, data de promulgação da lei. (Fonte: Agência Senado);

 

Essa vitória com certeza traz para nós historiadores em formação e profissionais em atuação na área de história a alegria de sermos reconhecidos devidamente no mercado de trabalho e nos espaços onde atuamos. O que muda com a lei:

1 Regulamenta parte do mercado do trabalho como pesquisa e publicação;

2 Poderá prestar concurso para a áreas (Órgãos públicos como museu, arquivos históricos e instituições públicas) somente quem tiver regulamentação.

3 Reconhece a profissão não apenas socialmente, mas também juridicamente.

4 Com o reconhecimento da profissão é possível lutar por ampliações de investimentos para a pesquisa e estudo, entre outras mudanças.

 

Por fim essa vitória é importante para garantirmos de que sempre vai haver um historiador para contar a nossa história, não de qualquer modo ou forma, mas com metodologia e ciência histórica mostrando como realmente ela é.

 

Wilian é Colunista/Colaborador do Site O Centro Sul - O conteúdo publicado pelos colaboradores e colunistas são de inteira responsabilidade dos seus autores.